XVII Seminário Nacional de Bombeiros

Página Inicial

Notícias


09/11/2017 Equipe do Corpo de Bombeiros Militar de São Paulo vence prova ‘Bombeiro de aço 2017’

 

          Depois de um dia de muita torcida, garra, ansiedade e emoção por parte de atletas e telespectadores, o público conheceu os ‘bombeiros de aço’, edição nacional 2017.  Realizada este ano pelo Corpo de Bombeiros Militar da Paraíba (CBMPB), a competição teve a equipe do Corpo de Bombeiros Militar de São Paulo como grande vencedora na categoria coletiva.

          Com o tempo de seis minutos e 18 segundos (6’18’’), o grupo, integrado por dois bombeiros e uma bombeira, sagrou-se campeão – ficando à frente da equipe do Distrito Federal (7’15’’) e Minas Gerais (8’22’’) – segunda e terceira melhores colocadas, respectivamente.

          No total, mais de 40 bombeiros de todo o país passaram, nesta quinta-feira (09), pelo circuito que testa força, resistência e habilidades técnicas dos militares. Na estrutura montada no estacionamento do Centro de Convenções, como parte das atividades do Seminário Nacional de Bombeiros, a prova também contou com disputa individual, por gênero. No masculino, Alcino Aureliano do Nascimento, da coirmã de Goiás, ficou com melhor tempo, fechando o circuito em um minuto, 35 segundos e 62 centésimos.

 

 

          Já no feminino, a bombeira Amanda, do Corpo de Bombeiros Militar de São Paulo, levou o título, encerrando a prova em dois minutos, quarenta segundos e 85 centésimos. Lorena Meireles, integrante do Corpo de Bombeiros Militar da Paraíba, mas que competiu pela Secretaria Nacional de Segurança Pública, conquistou o segundo melhor resultado, concluindo a prova em três minutos, 47 segundos e 63 centésimos. A equipe da Paraíba não conquistou medalhas no coletivo ou individual.

 

          A prova -  Composta por quatro etapas que ilustram atividades do dia a dia da profissão, a competição envolve a subida na escada, carregando uma mangueira de incêndio, seguida do içamento de outra mangueira; a simulação de entrada forçada com corrida em zigue-zague; arrasto da mangueira de incêndio pressurizada para apagar um foco de incêndio e, por fim, a simulação de transporte de vítima, com um boneco que pesa pelo menos 70 quilos.